Congresso Internacional do Medo

(Publié le 25 novembre 2006) (Mis à jour le: 27 juin 2016)
Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio porque esse não existe,

existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte,
depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.

 

Carlos Drummond de Andrade

Congresso Internacional do Medo Poésies Carlos Drummond de Andrade Poète Carlos Drummond de Andrade Auteurs Brésiliens Poésies Brésiliennes

 Poésies Brésiliennes - Auteurs Brésiliens - Poète Carlos Drummond de Andrade - Poésies Carlos Drummond de Andrade - Congresso Internacional do Medo -  Provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.



Voulez-vous commenter cet article ?

Votre email ne sera pas publié

Réalisation : www.redigeons.com - http://www.webmarketing-seo.fr/